NELSON GUIMARÃES PROENÇA

Nelson Proença

APRESENTAÇÃO

Em dezembro de 2020 completei 64 anos de exercício profissional.

Minha prática médica se deu na área da Dermatologia, foi extremamente gratificante. Esforcei-me sempre, ao máximo de minhas possibilidades, para que fosse igualmente gratificante para aqueles que em mim confiaram.

Nos Hospitais e nas Faculdades, em seus Ambulatório e Enfermarias, a princípio recebi treinamento e adquiri experiência, o que me permitiu que me dedicasse à área de Dermatologia. A princípio como especialista, depois como Professor Catedrático. A contribuição que procurei dar para o conhecimento e para a prática, na área da Dermatologia, ficou registrada em comunicações a Congressos de Medicina e publicações em revistas especializadas. Creio ter cumprido, sempre de modo correto, as obrigações que me foram atribuídas.

Paralelamente à minha atividade docente, sempre atendi também em consultório próprio, de 1957 a 2020. Esta clínica privada estou agora encerrando. Olho então para os arquivos que guardam os prontuários dos pacientes atendidos. Cada prontuário contém toda a documentação clínica e laboratorial, também as fotografias que registram o motivo de suas consultas. Ao todo, 62500 prontuários!

Documentação inteiramente preservada, poderá ainda ser útil? Creio que sim, ainda pode ser útil!

Em cada época o que fica incorporado ao conhecimento, na Dermatologia, não é apenas fruto da experimentação científica, do aprimoramento dos exames laboratoriais, da introdução de novos equipamentos. E é certo que o conhecimento científico é agora — mais do que nunca — ilimitado, como resultado da Inteligência Artificial.

Mas — vamos convir — o preparo de novos profissionais não deve levar em conta apenas o que há de conhecimento, mais recente, na Medicina. O preparo é também fruto da Prática Médica. Assim mesmo, com letras maiúsculas.

É a Prática Profissional que, por último, decide o que deve e o que não deve ser indicado, a cada paciente. Não há Medicina sem Prática Médica, não há Dermatologia sem Prática Dermatológica! Os dados de ordem clínica, que comandam as ações que precisam ser praticadas, continuam sendo indispensáveis, são a base da formação dos novos dermatologistas!

É sempre necessária a existência de ATLAS de DERMATOLOGIA. Se é assim, por que não aproveitar a experiência acumulada ao longo de mais de seis décadas, de atendimento a pacientes? Por que não transmitir os frutos dessa experiência, aos que hoje começam suas próprias jornadas?

Respondo a essas perguntas mantendo — e ampliando — o ATLAS de nosso SITE. Ele está à disposição de quem possa interessar.